Homenagem a Carlos Reichenbach

Carlos Arévalo

Há cineastas que são maiores que sua filmografia. Talvez a rigor Carlos Reinchenbach não tenha feito uma obra para que possamos reavaliar numa tela. Sua vida, seu comportamento, os amigos que fez, a influência que teve, seu gosto, suas descobertas, sua paixão pelo cinema…. Tudo isso soma uma obra difícil de avaliar, a não ser pela ótica do coração. Mas que soma, no que foi certamente, uma das pessoas mais queridas, mais influentes e mais importantes de sua geração.
Nascido em Porto Alegre em 14 de junho, criou-se em São Paulo. Cineclubista, crítico, influenciado pelo cinema japonês e os filmes B americanos, também foi diretor de fotografia e câmera (dos filmes dele e alheios). Começou com curtas e fez filmes de encomenda na Boca do Lixo, sempre sem perder seu estilo pessoal, repleto de citações de cineastas e de literatura, muitos deles desconhecidos e só depois cultuados. Foi reconhecido como um dos mais talentosos e influentes cineastas do cinema paulista. Em particular na Boca do Lixo.
Filmografia
Dir.: 1967- Esta Rua Tão Augusta (CM)
1968 – As Libertinas (epis. Alice. Teresa Sodré, Célia Assis)
1969 – Audácia, a Fúria dos Desejos (epis. A Badaladíssima dos Trópicos. Cléo Ventura, Maria Cristina Rocha)
1971 – Corrida em Busca do Amor (David Cardoso, Gracinda Fernandes)
1973- O Guru e os Guris (CM. Produtor e diretor de fotografia)
1974 – Lilian M – Relatório Confidencial (Célia Olga, Benjamin Cattan)
1977 – Sede de Amar ou Capuzes Negros (Sandra Bréa, Roberto Maya). A Ilha dos Prazeres Proibidos (Neide Ribeiro, Roberto Miranda)
1978 – Império do Desejo (Roberto Miranda, Aldine Muller)
1979 – Amor Palavra Prostituta (Patrícia Scalvi, Zaira Bueno)
1980 – Paraíso Proibido (Jonas Bloch, Vanessa Alves). Sonhos de vida (CM).Sonhos Corsários (CM)
1982 – As Safadas (epis. A Rainha do Fliperama)
1983 – Extremos do Prazer (Luiz Carlos Braga, Vanessa Alves)
1985 – Filme Demência (Ênio Gonçalves, Emílio Di Biasi)
1986 – Anjos do Arrabalde (Betty Faria, Clarisse Abujamra)
1988 – City Life (epis. Desordem em Progresso)
1994 –Olhar e Sensação (CM). Alma Corsária (Jandir Ferrari, Carolina Ferraz)
1999 – Dois Córregos, Verdades Submersas (Carlos Alberto Ricelli, Beth Goulart)
2002 – Equilíbrio e Graça (CM). 2003 – Garotas do ABC (Michelle Valle, Rocco Pitanga)
2005 – Bens Confiscados (Betty Faria, Renan Augusto)
2007- Falsa Loura (Cauã Raymond, Rosane Mulholland)

Ele sabia muito bem que muita coisa ele inventava de sua cabeça , seguindo apenas seu próprio gosto e sua própria sensibilidade.
Eu conheci através de meu pai que quando criança sempre me sitava o Carlão como uma referencia do cinema nacional, incluindo um questionamento político e uma extensa trilhagem musical na qual o Carlão tinha um grande conhecimento.
Carlos Reichenbach ou Carlão como é conhecido no meio cinematográfico e entre amigos, foi e sempre será pra nós um grande um icone de idéias do cinema no Brasil e no mundo.

2 comentários em “Homenagem a Carlos Reichenbach

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s